Notícias

Conheça o trabalho humanizado da Casa da Gestante

Fundada em setembro de 2022, a Casa da Gestante, Bebê e Puérpera é um espaço de humanização, acolhimento e cuidado que atende gestantes e puérperas oriundas do interior do Pará. A partir da abertura até agora, mais de 100 pacientes já foram atendidas no local. Levando em consideração que a maternidade da Santa Casa de Misericórdia é uma referência para a gravidez de alto risco em todo o estado, o espaço foi criado com o objetivo de receber e dar acolhimento a pacientes que necessitem de vigilância, mas sem a necessidade do cuidado hospitalar.
No local, as pacientes são hóspedes e têm direito a um acompanhante. Elas são assistidas por uma equipe multidisciplinar, composta por enfermeiros, técnicos em enfermagem, médicos, nutricionistas, terapeutas ocupacionais, psicólogos e assistentes sociais. O espaço lembra muito um ambiente familiar, uma vez que possui sala de estar, cozinha, copa, quartos, banheiros e lavanderia.Leia também:Caixa libera abono salarial para nascidos em maio e junhoSemana é de vacina contra Covid e Influenza em Belém; veja!
A capacidade é para até 10 pacientes, entre mulheres grávidas e no pós-parto e recém-nascidos, que estejam em situação de risco, sejam eles sociais ou físicos. A iniciativa atende a proposta da Rede Cegonha do Ministério da Saúde, instituída no ano de 2013, que visa estruturar em todo o país uma rede de cuidados voltada para a atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério.
“Foi uma grande conquista, porque essas mulheres atendidas na Casa da Gestante estão de alta (hospitalar), mas requerem um cuidado. Realizarmos vários trabalhos com elas, a exemplo do book da gestante, um projeto da Santa Casa chamado ‘Um clique de amor’. Preparamos esse ambiente de uma forma bem acolhedora para que elas realmente se sentissem nas suas casas. E tem toda uma assistência para que, no caso das gestantes, elas tenham uma gravidez saudável, que esses bebês nasçam com saúde e que a gente possa plantar a semente das orientações, porque elas são orientadas sobre vários assuntos”, pontuou Fracielma Chagas, enfermeira obstetra e gerente do alojamento.AtendimentoNa última semana, dentre as pacientes acolhidas no espaço estava a jovem Jeovana, grávida de 9 meses, acompanhada de sua mãe, a dona de casa Raimunda, 33. Ambas estão há mais de um mês na Santa Casa, após Jeovana ser encaminhada do município de Tomé-Açu, no nordeste paraense, devido a algumas complicações na gestação e risco de parto prematuro, conforme explicou a mãe da jovem.“Ela veio com perda de líquido e contrações. Chegou a ir a um hospital de lá e transferiram para cá. Ela recebeu atendimento no hospital, depois transferiram a gente para cá. Mas esta semana ela apresentou uma dilatação e voltamos para lá. Agora ela está de alta e esperando marcarem a cirurgia dela”, disse.Mãe e filha estão satisfeitas com o atendimento recebido tanto no hospital quanto na Casa da Gestante. “É muito bom, dão bastante atenção para a gente. O alimento é muito bom. A gente se sente bastante acolhida e muito bem aqui. Me senti muito alegre e feliz, também, fazendo as fotos. Eles têm um carinho muito especial com a gente. Além disso, eles conversam muito com a gente sobre como proceder depois que a bebê nascer, da questão alimentar da neném. Estou bastante tranquila”, declarou Jeovana.

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo