Notícias

Sede do CNPE é invadida e atacada por bandidos em Belém

A sede do Conselho Nacional das Populações Extrativistas em Belém (PA) foi invadida na madrugada deste sábado (22) por bandidos armados. Alguns membros que dormiam na instituição foram espancados, e itens foram roubados.
A invasão aconteceu por volta das 4 da manhã. No momento, dois dirigentes do CNPE dormiam em compartimentos diferentes da casa, segundo uma das vítimas.
Quatro pessoas, sendo três homens e uma mulher, invadiram a sede do Conselho. Ainda segundo o relato das vítimas, outros bandidos aguardavam em veículos do lado de fora da casa, localizada no bairro Guamá.
Durante o espancamento, os bandidos fizeram várias ameaças. As agressões só pararam depois que vizinhos perceberam uma movimentação estranha no local e acionaram a polícia.
Os invasores levaram documentos e roubaram dinheiro e equipamentos. Entre os itens roubados, estão antenas digitais do projeto “Conexão Povos da Floresta”, que seriam instalados em territórios indígenas, extrativistas e quilombolas.
“Eles devem ter quebrado a corrente do portão e só percebemos quando já estavam dentro. Fomos agredidos com socos e chutes”, afirmou Robson Costa dos Santos, dirigente do CNPE.
Alvo seriam as lideranças. O secretário-geral do CNS, Dione Torquato, diz que os agressores citavam os nomes das lideranças e diziam que a invasão era para dar um recado, para que a organização parasse de fazer denúncias, “Se isso não acontecesse, outras pessoas iriam voltar lá a mando da mesma pessoa para executá-los”, disse.
Caso está sendo investigado. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará informou que o roubo no Conselho Nacional das Populações Extrativistas foi registrado e está sendo investigado pela Polícia Civil. Ainda segundo o órgão, após o registro do caso, imediatamente, iniciaram as diligências e perícias de local de crime, a fim de identificar os autores.
AMEAÇAS ESTÃO AUMENTANDO 
O CNS tem percebido um aumento significativo de denúncias envolvendo ameaças a lideranças nos territórios indígenas nos últimos três meses. Segundo ele, isso seria uma consequência das ações do Governo Federal na Amazônia.
“O CNS historicamente sempre defendeu a luta, a vida e a dignidade dos povos tradicionais e continuará lutando, juntamente com o Governo, para que as comunidades tradicionais e populações extrativistas, indígenas e quilombolas voltem a ter a segurança, proteção e defesa dos seus territórios”, diz Torquato.
O último caso denunciado pelo CNPE, que repercutiu esta semana, envolve uma ação judicial na reserva extrativista Verde Pra Sempre. A Justiça determinou a reintegração de posse da fazenda Acará, localizada dentro da unidade de conservação. Após a decisão, o CNPE solicitou apoio do ICMBio para que o Governo Federal acompanhe o caso em favor das famílias extrativistas.
“Na área de municípios do Marajó, estamos trabalhando em prol das populações extrativistas. Isso tem deixado donos de propriedades particulares revoltados, que chegaram a fazer ameaças”

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo