Notícias

Lula compara governo Bolsonaro a “praga de gaganhotos”

 O presidente Lula (PT) comparou o governo Jair Bolsonaro (PL) a “uma praga de gafanhotos”, disse que houve corrupção no governo anterior e citou as investigações relacionadas a suspeitas de fraude no cartão de vacina do ex-presidente, alvo de investigação da Polícia Federal.
“Agora, [Bolsonaro] está dentro de casa com o rabinho preso. Está prestando depoimento. Ele vai saber o quanto foi ruim para ele mentir quando estava no governo. Até o cartão de vacina ele falsificou”, disse o petista nesta sexta-feira (12) em lançamento do programa Escola em Tempo Integral em Fortaleza.
Na sequência, o petista criticou governo anterior pela condução da pandemia de Covid-19, disse que cerca de 300 mil brasileiros morreram com a doença por causa da inação do governo e voltou a desaprovar Bolsonaro
“Imagine que qualidade de presidente da República com uma pandemia matando 700 mil pessoas e ele falsificou o seu cartão de vacina”, afirmou Lula em discurso.
O presidente ainda fez referências aos ataques golpistas de 8 de janeiro que resultaram na depredação do Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal. Chamou Bolsonaro de antidemocrático e defendeu respeito à democracia.
“Tem muita gente presa e eles vão aprender uma lição: se querem governar esse país, não deem golpe. Disputem as eleições da forma mais honesta e aguardem o resultado das urnas.”
O presidente voltou a criticar a privatização da Eletrobras e relacionou o governo Bolsonaro com investigações de suspeitas de corrupção? “Ele [Bolsonaro] dizia que era honesto, vamos ver o que é corrupção agora com a turma dele”.
Lula participa no Ceará de eventos de lançamento do programa Escolas de Tempo Integral e do Pacto Nacional pela Retomada de Obras Escolares acompanhado do ministro da Educação, Camilo Santana (PT) e o governador do Ceará, Elmano de Freitas (PT).Leia mais:Lula sanciona R$ 7,3 bilhões para piso da enfermagemPis/Pasep pagará até um salário mínimo; confira!
O ato realizado pela manhã foi no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza. Professores e sindicalistas aproveitaram a presença de Lula e do ministro da Educação para fazer um protesto com demandas para o setor. O grupo exibiu placas que pediam respeito ao piso salarial da educação, mais dinheiro para o setor e a revogação do novo ensino médio.
O evento contou com a presença de estudantes e professores da rede estadual e municipal de ensino, juntamente com líderes de centrais sindicais e movimentos sociais.
Dentre eles estava um grupo de militantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), que nesta quinta (11) não participou de um ato com Lula em Salvador. A entidade argumentou que foi barrada do ato pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), que nega o veto.
Da capital cearense, Lula segue para a cidade de Crato, região do Cariri cearense, onde lança o programa Pacto Nacional de Retomada de Obras na Educação Básica, para a retomada de quatro mil obras paralisadas na gestão anterior. As obras, em creches e escolas da rede pública de educação, serão financiadas pelo FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).
O ensino em tempo integral é uma das principais bandeiras da gestão do ministro Camilo Santana, que foi governador do Ceará entre janeiro de 2015 e abril de 2022. O estado é considerado exemplo na educação básica, com resultados acima da média nacional.
No Ceará, o programa de escola em tempo integral deve atingir este ano mais de 70% da rede de escolas estaduais, segundo dados do Governo do Estado. Ao todo, serão 472 escolas com jornada ampliada de nove horas distribuídas em 165 municípios.

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo