Notícias

Gasolina, diesel e gás de cozinha ficarão mais caros

De acordo com a pesquisa de preços da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis), o preço médio do combustível no país passará de R$ 5,56 para R$ 5,71 por litro, isso acontece após as novas alíquotas do ICMS, aprovadas no ano passado, começarem a entrar em vigor este ano. Prepara o bolso!Os preços da gasolina, do diesel e do botijão de gás estão programados para aumentar nesta quinta-feira (1), devido à entrada em vigor das novas alíquotas do ICMS aprovadas pelos governos estaduais em outubro. O ICMS da gasolina terá um acréscimo de R$ 0,15, chegando a R$ 1,37 por litro.
No caso do diesel, o aumento será de R$ 0,12, alcançando R$ 1,06 por litro, elevando novamente o preço do diesel S-10 para acima dos R$ 6 por litro, após um repique no início do ano com a retomada da cobrança de impostos federais. A alíquota do gás de cozinha será ajustada para R$ 1,41 por quilo, um aumento de R$ 0,16. Com isso, o botijão de 13 quilos, em média, passará de R$ 100, 98 para R$ 103, 6, dificultando a meta do governo de reduzir o preço abaixo dos R$ 100.
Este é o primeiro aumento do ICMS desde a mudança do modelo de cobrança do imposto, que passou a utilizar alíquotas em reais por litro, abandonando o percentual sobre um preço estimado de bomba dos produtos. A intensidade do aumento tem sido alvo de críticas por parte do setor.Conteúdo relacionadoVídeo: paraquedas falha e homem morre ao saltar de edifícioNavios “fantasmas” navegam nos oceanos sem ninguém a bordoMP recomenda fiscalização em condomínios de Ananindeua
Distribuidoras de gás de cozinha argumentam que, em 18 estados, o botijão agora terá uma alíquota equivalente a mais de 18% do preço do produto, ultrapassando o teto legal para a cobrança do imposto sobre produtos essenciais.
Esse aumento de impostos ocorre em um momento em que os preços da gasolina estão em queda no país, reflexo da redução das cotações do etanol anidro, responsável por 27% da mistura vendida nos postos. A gasolina e o etanol mais baratos contribuíram para que o IPCA-15 alcançasse, em janeiro, a menor taxa para o mês em cinco anos.
A elevação na carga tributária coloca a Petrobras em uma situação com pouca margem para redução de preços nas refinarias, medida adotada para minimizar aumentos de impostos em 2023. O preço do petróleo subiu 6% na semana devido à instabilidade geopolítica e aos sinais de recuperação da economia dos Estados Unidos.Quer saber mais notícias do Brasil? Acesse o nosso canal no WhatsApp
Na abertura do mercado da última sexta-feira (26), o preço médio da gasolina nas refinarias brasileiras estava R$ 0,18 por litro abaixo da paridade de importação medida pela Abicom (Associação Brasileira dos Importadores de Combustível). Para o diesel, a diferença era de R$ 0,40 por litro.
A Petrobras, em sua nova política de preços, alega considerar não apenas esse indicador, mas também o custo interno de produção e a competição com outros combustíveis concorrentes. No entanto, a empresa tem mantido os preços em sintonia com o mercado internacional. Nas primeiras 28 semanas sob a nova política, o preço médio de venda da gasolina pela estatal foi, em média, 97% da paridade de importação calculada pela ANP, enquanto o preço médio do diesel foi equivalente a 92% da paridade. devido à instabilidade geopolítica e sinais de recuperação da economia dos Estados Unidos.

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo