Notícias

Dupla mata desafeto a tiros e é presa momentos após o crime

O trabalho da Polícia Militar do Pará mais uma vez culminou com a prisão de homens suspeitos de terem assassinado outra pessoa em Marabá no sudeste paraense. O fato aconteceu neste domingo (28) por volta do meio dia. De acordo com informações do 34º Batalhão de Policiamento Militar, por volta do meio dia deste domingo o Niop entrou em contato com o batalhão passando a informação sobre um possível homicídio no bairro da Paz em Marabá. O tenente Florêncio, do 34º BPM, determinou então que viaturas que estivessem na área fossem até o local averiguar a situação e colher as características dos possíveis suspeitos do homicídio. “Após identificar as características dos suspeitos, confirmarem como estavam vestidos, inclusive com a informação de que estavam de bicicleta e que teriam empreendido fuga também a pé, nós conseguimos fazer o cerco e a viatura 9833, de imediato, conseguiu fazer a detenção do primeiro suspeito”, declarou.Veja também:Jovem é executada a tiros após denunciar ameaçasHomem ganha baiacu de presente e morre após comer com limãoJovem que teve intestino perfurado em parto morre em MarabáCerca de três minutos depois, a viatura conseguiu localizar o segundo suspeito. “A população começou a nos informar que ele estava pulando o muro de uma residência, todas as viaturas de área estavam em perseguição a ele, ainda chegou a correr cerca de três quarteirões e conseguimos fazer a detenção dele”, enfatizou. 

 Os presos foram identificados como Pedro Henrique Gonçalves dos Reis e Jorge Osório dos Santos. Eles são os principais suspeitos de terem matado a tiros, Luís Fernando Alfaia Coelho. Inclusive um dos presos confirmou que matou a vítima, informando aos policiais que Luís Fernando os estava ameaçando de morte. 

 No momento da abordagem foi encontrada com o segundo suspeito a arma do crime, um revólver calibre 38 com seis munições deflagradas. “Conduzimos os dois para a delegacia para as medidas cabíveis, enquanto outra viatura ficou no local do crime aguardando a chegada do IML e da Polícia Civil, para fazer o trabalho de perícia”, disse o tenente Florêncio. (Com apoio de informações de James Oliveira, da RBATV)

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo