Notícias

Cada dia é mais difícil, diz Michael J. Fox sobre Parkinson

Michael J. Fox, 61, continua lutando contra o
Parkison. A doença, diagnosticada em 1991, quando o ator estava no auge da
carreira lançando o terceiro filme da trilogia “De Volta para o
Futuro”, tem dado sinais de avanço. Ele não esconde que tem sido difícil
lidar nos últimos tempos com os sintomas como tremores, rigidez muscular,
problemas de movimentos e coordenação, alterações na fala e na escrita.
“Não vou mentir. Está ficando difícil, está ficando mais difícil. A cada
dia é mais difícil”, avaliou.
O ator até revelou em entrevista ao programa
“CBS Sunday Morning”, da CBS, dos Estados Unidos, que acha que o seu
fim está próximo. “Sim, está batendo na porta. Quer dizer, não vou mentir
que vai doer”,comentou. “Você não morre de Parkinson. Você morre com
Parkinson. Então, tenho pensado sobre a mortalidade disso. Não vou fazer 80
anos.”
Fox também conta sobre outros problemas de saúde
que vem enfrentando. “Fiz uma cirurgia na coluna. Eu tinha um tumor na
coluna e era benigno, mas atrapalhava meu andar. Comecei a quebrar ‘coisas’.
Quebrei este braço, quebrei este braço, quebrei este cotovelo. Quebrei a cara.
Eu quebrei minha mão, que é uma grande assassina com Parkinson”, disse.
Michael, que é casado desde 1988 com a atriz Tracy
Pollan e os dois são pais de quatro filhos: Sam, de 33 anos, os gêmeos Aquinnah
e Schuyler, de 28, e Esmé , de 21, revelou seu diagnóstico de Parkinson em
1998, sete anos após descobrir a doença. Nos anos 2000, ele inaugurou a Michael
J. Fox Foundation for Parkinson’s Research, uma instituição que investe em
estudos para a doença e desde então arrecadou mais de $1,5 bilhão. “Me
disseram que só restavam dez anos para trabalhar. Isso era mentira. A parte
mais difícil do meu diagnóstico foi lidar com a certeza da enfermidade e a
incerteza da situação.”
O ator prosseguiu contando sobre a doença. “Eu
só sabia que iria piorar. O diagnóstico foi definitivo, mas o progresso foi
indefinido e incerto. Minha esposa Tracy deixou claro que ela estava comigo
durante todo o tempo. Então, entrei em sete anos de negação, tentando entender
tudo. O garoto que deixou o Canadá convencido de que faria qualquer coisa
acontecer, pelo menos trabalhando duro e acreditando, agora tinha uma tarefa
difícil pela frente.”

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo